Brasil e Índia no BRICS: Aprendizado mútuo

Brasil and India
Alexander Ivanov, Head of Macroeconomic Research
Brasil and India

Índia e Brasil compartilham princípios comuns sobre democracia, direitos humanos, governança global e liberalismo econômico. Isso lhes permite manter uma posição unida em fóruns multilaterais, como BRICS, ONU e OMC, onde eles podem usar seu poder combinado para garantir interesses nacionais e aumentar o papel dos países em desenvolvimento no processo de tomada de decisão das instituições globais.

Nesse sentido, sob o governo Bolsonaro, podemos esperar uma colaboração política mais estreita entre o Brasil e a Índia em sua tentativa de associação permanente ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. Além disso, ambos os países compartilham problemas semelhantes em termos de desenvolvimento econômico e social, como a provisão de assistência médica e educação universal, a erradicação da pobreza, o fechamento da lacuna de infraestrutura e o combate à corrupção. Isso cria oportunidades únicas para o compartilhamento de conhecimento e a aprendizagem mútua.

No entanto, os níveis de cooperação entre a segunda e a quinta nações mais populosas do mundo ainda estão bem abaixo do seu potencial. Apesar do acordo preferencial com o bloco do Mercosul, o comércio bilateral alcançou US$ 7,6 bilhões em 2018, com um superávit de US$ 247 milhões a favor do Brasil. Naquele ano, a Índia era o décimo maior destino de exportação do Brasil, comprando mercadorias pelo valor de US$ 3,9 bilhões. Cinco produtos formaram cerca de 73% das exportações - petróleo, açúcar, óleo de soja, ouro e minérios de cobre. O Brasil representa uma alternativa viável para a Índia atender às suas necessidades de matérias-primas e reduzir sua dependência do Oriente Médio por energia.

Para fazer o donwload do relatório completo, clique aqui

Brics white paper

Country

11th Novembro 2019 Brasil e Índia no BRICS: Aprendizado mútuo